Opensolaris vs Linux

Eu uso linux, mas torço para que outros sistemas façam melhor, justamente para eliminar certos vícios e limitações da GPL, por isso meu apreço pelo OSX e a família BSD. O opensolaris é um SO novo mas baseado no fodástico Solaris ,com muitos anos de estrada apavorando na área de servidores de alto desempenho.

Ele é bem diferente do linux e dos BSDs apesar de ser um Unix certificado (coisa que o linux não é 😛 ) , mas roda X11 e todo seu legado de aplicações como o GNOME, KDE . Portanto no dia a dia não é muito diferente de uma distro linux comum apesar do pobre suporte a hardware.

Achei esse artigo que conta muito mais sobre as diferenças entre o linux e o opensolaris, sem pender para nenhum lado, mas da água na boca de ver a implementação de snapshots do ZFS direto no nautilus, coisa que não teremos no linux pelos próximos 5 anos ou mais.

Hackintosh, no meu PC novo ?

Já faz mais de um ano que desmontei meu último hackintosh… nem lembro mais dos travamentos com a USB, a emoção de aditar plists, de compilar módulos, alterar DVDs de instalação etc…

Mas meu AMD 64 esta dando sinais de que vai parar, então estou pesquisando qual vai ser meu próximo PC, e claro ele vai ter que rodar OSX.

Meu próximo PC vai resolver um problema antigo que tenho aqui em casa, 400 DVDs de dados e filmes que entulham minha sala , e sem falar da frutração de precisar de um arquivo e o DVD não funciona mais isso acontece sempre. Então o forte dessa máquina será armazenamento, e minha idéia é colocar 3 HDs de 750 Gb, melhor custo benefício atual, em RAIDZ … RAIDZ ? RAID Z é um RAID configuravel via ZFS, que tem vários benefícios quando comparado com o RAID-5, principalmente baixo custo.

Como o ZFS é a minha escolha para storage, só me restam 3 alternativas de sistema operacional OpenSolaris, FreeBSD e OSX. O linux tem um suporte pra lá de porco, que não é estável, nem rápido, nem prático e não da pra usar. O OpenSolaris tem graves problemas de suporte , documentação, e compatibilidade com hardware, ele será minha primeira opção, se falhar vou de FreeBSD e por Último vou de OSX.

Pesquisando em fóruns descobri que o fabuloso HMTB vai encerrar suas atividades então pretendo criar e manter um fórum especializado no assunto afinal fui eu quem lançou a primeira comunidade no Orkut sobre o assunto 😛 e fui um dos primeiros hackintoshers do Brasil.

Enquanto pesquiso o hardware que vou usar já estou baixando o DVD do OSX para Hackintoshs, se interessar :


iATKOS 4va (AMD)

http://rapidshare.com/files/137727738/macos.part01.rar
http://rapidshare.com/files/137732595/macos.part02.rar
http://rapidshare.com/files/137736011/macos.part03.rar
http://rapidshare.com/files/137742262/macos.part04.rar
http://rapidshare.com/files/137746900/macos.part05.rar
http://rapidshare.com/files/137751590/macos.part06.rar
http://rapidshare.com/files/137756333/macos.part07.rar
http://rapidshare.com/files/137760501/macos.part08.rar
http://rapidshare.com/files/137765032/macos.part09.rar
http://rapidshare.com/files/137767849/macos.part10.rar
http://rapidshare.com/files/137772611/macos.part11.rar
http://rapidshare.com/files/137774443/macos.part12.rar

Storage ZFS em FreeBSD

Mais uma saga se inicia, a configuração de um servidor de dados rodando FreeBSD e ZFS. Faz tanto tempo que não uso FreeBSD que esqueci quase todos os macetes, mas pelo menos completei a instalação sem qualquer problema.

Aqui tenho uma máquina com 3 discos, um deles é IDE e possui 80GB de capacidade, os outros dois são SATA e tem 320 GB cada. A brincadeira é instalar o FreeBSD e montar uma partição gigante unindo os três discos , algo parecido com um split.


Logo de cara vi que não tenho bash instalado, CSH é um lixinho, e para instalar o BASH preciso de rede, então esse é o primeiro passo . Para ver quais placas de rede estão plugadas ao sistema use :


ifconfig

Dessa forma descobri que minha placa é vr0, como uso DHCP usei o seguinte comando para configurar minha rede :


dhclient vr0

Feito isso vamos instalar o bash 🙂 No FreeBSD temos duas formas de instalar os programas, via ports e via pacotes binários. A oferta de pacotes via ports é mais abundante e flexivel, já os pacotes binários são mais rápidos de se obter. Como eu quero apenas o BASH vou usar o ports.

Usar o ports é fácil, se você sabe o nome do que procura use o :

whereis bash

Se não sabe vá em /usr/ports, e escolha a categoria do software que procuras, e dentro de cada um desses diretórios tem um diretório com o nome dos softwares, e o bash fica em /usr/ports/shells/bash. Uma vez dentro do diretório do bash basta dar o comando :


make && make install

Depois é só usar o comando chsh pra mudar o shell é se livrar do lixo do csh. 🙂

A parte boa é que o ZFS já vem com o FreeBSD, a ruim é que o suporte é experimental, nem sempre experimental quer dizer ruim… Mas só vou descobrir com o tempo heheh. No meu caso eu quero usar o resto do HD de 80 GB , e os dois HDs sata, para realizar essa mágica com o ZFS basta usar os comandos :


zpool create storage ad0s3 ad4 ad6

No meu caso tive que repetir o comando por causa de um warning dado pelo time do FreeBSD avisando que o ZFS ainda não está totalmente implementado. Mas aqui funcionou, totalizando 680 GB espalhados por dois discos e uma partição. E o sistema já montou o pool em /storage automaticamente.
Configuração do ZFS é isso mesmo, fazem LVM e raid parecerem piadas de mal gosto.

Agora temos que editar alguns arquivos, e devo dizer que o vi que vem no freebsd é um lixo, e se você , assim como eu não quer perder muito tempo compilando o VIM vamos instalar o pacote pronto, o comando é simples:



pkg_add -r vim

Basta substituir o “vim” pelo comando que você quer e tudo vai dar certo… ou não, no meu caso o pacote pronto do VIM exige a instalação completa do xorg, um completo desperdício de disco, já que nem monitor essa máquina via ter.

Para que nosso array de discos monte na incialização do sistema basta executar o comando :


echo 'zfs_enable="YES"' >> /etc/rc.conf

Como disse no início do post ZFS é experimental com o FreeBSD, então ele tem vários bugs já conhecidos, no caso do ZFS o mais grave é um que causa Kernel Panic se houver excesso de I/O, carinhosamente conhecido como “kmem_suballoc” . Pra resolver isso basta adicionar as seguintes linhas no /boot/loader.conf :


vm.kmem_size_max=”512M”
vm.kmem_size=”512M”
vfs.zfs.zil_disable=1

Se colocar mais memória doque seu computador possui ele vai crashar !

Agora é só botar o samba pra exportar o pool e já era ! Se o Mac OSX vier com uma implementação decente do ZFS, e aparentemente vai, o linux vai cair na irrelevância bwa ! ha ! ha ! ha !

Trolagens a parte, vou descrever brevemente porque o ZFS é o melhor sistema de arquivos em qualquer segmento:

  • Ele faz snapshots ! Vai fazer faxina no HD ou vai deixar seu sobrinho mexer no micro ? sem crise ! faz um snapshot e todos seus dados estão automaticamente backupeados !
  • Hd ta acabando, não tem mídia pra fazer backup ? Sem problemas, ativa a flag de compressão de dados e ganhe gigas de espaço sem fazer esforço
  • Precisa de mais partições ou de redimencionar o seu /home ? Sussa, é mais rápido do que ler essa linha
  • Comprou um HD novo ? É só espetar adicionar ao pool de discos e usar, não vai ter trabalho nem pra de particionar muito menos montar o disco novo !!!
  • Quer segurança nos dados, redundancia e velocidade ? Sussa, raidz faz isso pra você, é só ter mais de 2 discos

O único defeito do ZFS é que ele não é licenciado em GPL, então não pode ser incluido no kernel do linux com a mesma facilidade que foi absorvido pelos *BSDs ou OSX … “Linux é livre, ZFS é livre, mas minha licença é melhor que a sua então não vou incorporar seu software” babaquice ? Sim e da grande ! Quem perde ? Todo mundo !

Ponto pra licença BSD.

Snow Leopard

A apple anunciou o Snow Leopard , aka: MAC OSX 10.6. O sistema aparentemente será robusto, vai trazer a tecnologias novas como OpenCL , que permite usar a GPU como co-processador, ZFS etc… Ele vai suportar também o Microsoft Exchange, multiplos processadores, sistema totalmente 64bits etc…

Mas o Jobs deu uma dica boa… Ao anunciar o novo sistema disse que ele terá binários menores, menor consumo de memória, ou seja, seria o fim dos binários universais ? Acho que sim, olha só o que chegou pros developers:


noppc

É a pá de cal nos macs PPC 🙁