Snow Leopard

A apple anunciou o Snow Leopard , aka: MAC OSX 10.6. O sistema aparentemente será robusto, vai trazer a tecnologias novas como OpenCL , que permite usar a GPU como co-processador, ZFS etc… Ele vai suportar também o Microsoft Exchange, multiplos processadores, sistema totalmente 64bits etc…

Mas o Jobs deu uma dica boa… Ao anunciar o novo sistema disse que ele terá binários menores, menor consumo de memória, ou seja, seria o fim dos binários universais ? Acho que sim, olha só o que chegou pros developers:


noppc

É a pá de cal nos macs PPC 🙁

Ubuntu dapper em powerbook G4

Bom, faz um tempo que venho estudando o ubuntu dapper… e a versão liveCD para PPC simplesmente não funcionou no meu powerbook G4… o GNOME não sobe ! E ao forçar o gnome, o sistema de instalação simplesmente não funciona !!!!! Arrg ! Apesar disso, pbbutons , som, wireless e o vídeo funcionam maravilhosamente bem, assim como no fedora 4 … Mas essa versão para PPC realmente foi esquecida pelos developers, nem o tema do GNOME é o mesmo para as 3 arquiteturas da distro… Lamentável.

Então, estou escrevendo um guia de instalação manual do ubuntu Dapper em PPC via liveCD, no melhor estilo gentoo de se instalar uma distro :

O gnome não subiu no liveCD, não existe outra alternativa ao gnome nesse cd…. o que fazer ? Eu fui para o modo console, e lá o sistema já está logado como
usuário ubuntu. Crie o arquivo .xinitrc :


echo "exec xterm" > .xinitrc

Então suba uma nova instância do X:


xinit -- :1

Se tudo der certo você terá um terminal “xterm” no seu modo gráfico, agora reparticione seu HD com o mac-fdisk… se você não sabe como, vá para o Mac Os X , e faça usando o Disk Utility. Com o mac-fdisk crie uma partição de bootstrap e outra para o seu linux:


mac-fdisk /dev/hda

Crie a partição bootstrap com o comando “b”, quando ele pedir o “First Block” diga o número da partição de espaço livre seguido da letra “p”, exemplo “12p”. Agora crie uma partição linux , use o comando “c”, seguido da partição livre (exemplo: 13p) e finalmente o tamanho da partição, exemplo : 5G.

Formate sua partição linux, exemplo:


mkfs.ext3 /dev/hda2

Com sua partição linux criada e formatada, monte e compie os dados do root do liveCD, mas não copie o conteúdo dos diretórios: cdrom , proc e sys, ok ? E não esqueça de copiar os arquivos com o comando “cp -a”, sem isso o seu sistema do HD não vai funcionar apropriadamente.

Temos também que formatar a partição do openfirmware bootstrap device que criamos agora a pouco, para isso, use o comando :


mkofboot -o /dev/hda9 # No meu caso

Após isso, temos que configurar o bootloader, no caso dos portáteis apple , o yaboot, ele tem um script que gera a configuração automaticamente, o yabootconfig, mas no ubuntu ele não funcionou apresentando o erro: “yabootconfig: unionfs: no such file or directory”…. Ou seja , vamos criar a configuração na mão 🙂
Para nossa sorte a configuração do yaboot é muito parecida com a do lilo, um exemplo de configuração é:

/etc/yaboot.conf

##

Para menu dual-boot, adcione :

bsd=/dev/hdaX, macos=/dev/hdaY, macosx=/dev/hdaZ

Coloque aqui a partição bootstrap

boot=/dev/hda9

Se vc tem um G5 descomente essa linha !

#ofboot=hd:2

Apelido para seu hd do jeito que o OpenFirmware vê

device=/pci@f2000000/mac-io@17/ata-4@1f000/disk@0:

delay=5
defaultos=macosx
timeout=30
install=/usr/lib/yaboot/yaboot
magicboot=/usr/lib/yaboot/ofboot

image=/boot/vmlinuz-2.6.15-23-powerpc
label=Linux
initrd=/initrd.img.old
root=/dev/hda12
partition=12
read-only

macos=/dev/hda13
macosx=/dev/hda12
enablecdboot
enableofboot

Para instalar o bootloader no hd, o comando é : ybin -b /dev/hda9 -C yaboot.conf . Você não precisa fazer chroot no sistema que você está instalando para rodar o ybin, basta dizer para ele qual é a partição de boot e onde está o arquivo de configuração.

Por último temos, arrumar o /etc/fstab, adicionando o a linha correspondente ao nosso root.
Depois disso, meu sistema bootou ai tive que resolver outros problemas heheh, espero que você também consiga !

Fedora Again !

Aqui estou eu novamente mergulhado no mundo do RedHat. Sem dúvida foi
uma das épocas mais divertidas e produtivas da minha história digital.
Tanto que eu andava uniformizado pela, com camiseta, boné, chaveiro…
Até meu micro tinha adesivo da distro. Depois do fim do RedHat livre
surgiu o Fedora, uma distro que serviria como base para o RedHat
Enterprise , mas infelizmente ela nunca teve o mesmo impacto que seu
antecessor. “Uma distro cheia de bugs, com desenvolvimento
oligárquico”, pensava eu, de fato muitos bugs e muita trabalheira na
hora de instalar pacotes, mas um desktop insuperável e um sistema bem
organizado.


Decepcionado com a versão PPC do gentoo e suas raras atualizações,
resolvi tentar mergulhar novamente no mundo RPM, mas dessa vez a
versão PowerPC ! Então nos próximos dias postarei como esta sendo
minha experiência com o Fedora Core 4 em um iBook G3, não perca.