Meu PC é VERDE

Hoje acordei com a seguinte missão, montar dois computadores , um para mim e outro para o meu irmão. Meu irmão é usuário hardcore de internet , e visita todo tipo de sites que se possa imaginar, mas ele como a maioria não tem a manha, não sabe onde clica e cai em qualquer scam que aparecer. Por outro lado ele não é burro, sabe que o windows é uma droga cheio de pragas e por isso ele nunca se quer se interessou pelo sistema da microsoft.

suse

Como eu sempre estive por perto, já instalei todo tipo de linux na máquina dele, slack, fedora, ubuntu, debian, gentoo, archlinux e opensuse… Nas fases em que ele teve fedora e opensuse ele mesmo instalava programas, configurava rede (coisas simples) , e é um usuário de bem com a vida e independente quando a distro ajuda. O ubuntu foi um desastre, não me pergunte porque, um dia o gnome simplesmente não queria funcionar mais.

Como agora moro longe, e ele precisava de um upgrade de hardware resolvi tentar o opensuse na máquina dele…. Minha última experiência com a distro não tinha sido muito boa, mas foi por culpa e incopetência minha.

Só contando um pouco de história, o opensuse é fruto do casamento da Novell com a SuSE inc e foi baseado numa distro que era o sonho de consumo de praticamente todo usuário linux… Era uma distro que dispensava (e ainda dispensa) o uso do terminal, mesmo para tarefas administrativas mais complicadas como editar parâmetros do kernel, configuração de xinerama com 2 ou + monitores, configuração de placas de TV, clientes e servidores kerberos, nis etc… Era uma distro bonita, com um tema esverdeado e um simpatico geeko (lagarto) como mascote. Pra época em que ela foi lançada ela era monstruosamente grande, a quantidade de software era imensa, coisa de 6 CDs isso em uma época em que TODOS os pacotes do GNOME e do KDE e o StarOffice cabiam em um único CD.

A distro sempre presou pela qualidade e acabamento, NENHUM aplicativo gráfico é empacotado sem ter um ícone e uma entrada no menu principal, quando um app não tinha ícone a equipe criava um 🙂 E como a distro era européia, era comum ver muitos softwares de qualidade completamente desconhecidos do mercado americano, muitos deles nem tinham tradução para o inglês … Ainda hoje isso acontece, sempre que navego pelo inventário de softwares vejo uma porrada de programas que nunca ouvi falar …

Se o SuSE era tão bom, pq ele não se tornou o que a redhat/fedora se tornou hoje ? Dificil de entender, talvez seja pq o SuSE vem da europa e o grande mercado do linux sempre foi os EUA. Outro fator é que no mercado de desktops o SuSE tinha um impecilho que manteve muita gente longe da distro , o preço 🙁 As ISOs do SuSE não eram de graça, apenas a instalação por FTP, que em uma época sem banda larga era impossível de usar a distro. A única opção era comprar a caixinha, que custava U$ 90 mas aqui no Brasil era vendida por R$ 400 reais, quase dez vezes mais cara que uma caixinha do Conectiva.

Essa barreira impediu que a distro se tornasse popular entre usuários desktop, e o lobby da redhat impediu que ela avançasse no mercado coorporativo, então o SuSE era o Opera das distros linux .

A SuSE era a maior financiadora do KDE, e tudo de mais novo e revolucionário dos desktops linux sempre saiam muito antes para o KDE dela, tipo thumbnails de imagens, pastas virtuais de rede etc… Quando a Novell fagocitou a empresa tive medo que a Novell acabasse com a distro já que a Novell é uma das maiores financiadores do GNOME, e mais ! Ela mudou o foco da distro portando o Yast (O software de configuração linux) para GTK, e mudou tanto o processo de desenvolvimento que todos os antigos fundadores ou foram demitidos ou se demitiram, e hoje não sobrou mais nenhu.

Mas por outro lado a Novell fez bonito ao enviar DVDs com o SuSE desktop e Enterprise gratuitamente para a casa de todos que preenchessem um formulário no site deles isso ainda em 2004 antes do ubuntu existir. Ela abriu o desenvolvimento para a comunidade e dai surgiu o OpenSuSE, uma das 3 grandes distros do momento.


gtk-yast

Vou fazer uma listinha com os prós e os contras do opensuse, até onde eu vi e usei .

Prós :

* Repositórios imensos , e um esquema de contribuições voluntárias e não oficiais estilo AUR (menos varzeado, claro). Portanto o número repositórios extras é absurdo. Só pra se ter uma idéia, o rpmfusion é pequeno perto de um repositório médio não oficial.
* Comunidade grande, fóruns eficientes, documentação rica.
* Sistema super bem acabado, da pra fazer 99,9% das tarefas do dia a dia sem recorrer ao terminal
* A distro não te atrapalha se vc quiser fazer tudo manualmente.
* Todos os aplicativos gráficos estão nos menus categorizados
* Todos os comandos de terminal tem manual (assim como no debian)
* Eles mantem softwares obsoletos nos repositórios, útil numa época em que o KDE4 ainda não chegou aos pés do KDE 3
* Maior repositório de softwares para KDE 2/3/ e 4
* Após a instalação a distro instala flash, codecs , fontes microsoft e outras conveniências automaticamente , coisa que distros puritanas não nos permitem.
* Tem pacote para praticamente todo e qualquer driver proprietário
* A distro não é bleeding edge, e eles testam os pacotes antes de mandar para o repositório.
* Para o opensuse existe muito mais do que KDE, gnome e XFCE…
* O Yast é exatamente o mesmo software em GTK, QT ou Ncurses ! Todas as funcionalidades estão em todos os frontends do programa.
* O sistema se auto instala sob-demanda, instalou uma NVidia ? Ele se oferece para buscar e instalar o driver pra você.
* E muitas outras coisas que não me lembro…

yast2_ncurses_main

Contras :

* Por padrão o opensuse instala e sobe um monte de daemons que comem muita ram e deixam o boot um pouco mais carregado do que em um fedora.
* O yast é muito burocrático consigo mesmo rodando uma porrada de rotinas para cada ação executada, o que torna o processo de configuração um pouco lento.
* O sistema de gerenciamento de pacotes via rede não rotaciona entre os mirrors, por isso é sempre recomendado mudar o mirror dos repositórios para evitar incovenientes falhas durante a instalação de programas.
* Pelo que me lembro só…

Enfim, estou supreso com o linux da Barbie, não imaginei que a distro tivesse conteúdo… Fiquei tão surpreso que arranquei o archlinux daqui… ou seja, archlinux agora só no servidor que vos serve. Nada contra o archlinux, mas ele é mal passado demais pra mim…

Aprenda linha de comando parte 1

Estava sentindo muita falta dos podcasts, mas como eles eram recheados de conteúdo protegido tive que tirar do ar para evitar problemas. Mas envolvido nessa pilha , fiz hoje meu primeiro screencast, e é para os meus alunos do preparatório LPI :



Introdução à linha de comando – parte 1 from liquuid on Vimeo.

Uma breve introdução à linha de comando no linux , abordando gerenciamento de arquivos e diretórios entre outros conceitos básicos

Gostou ? Divulga, dúvidas nos comentários 🙂

De volta à Matrix

Novamente conectado… foram praticamente 3 meses sem internet em casa, soma de período turbulento, monopólio de telecomunicações e uma espécie de “férias” que tirei de minhas próprias nerdices. Apesar dos efeitos colaterais foi bom não ter internet em casa, gastei mais tempo com coisas mais importantes do que manter mais um repositório archlinux atualizado, desenvolvendo código pro blog novo, falando mal do linux ou tirando dúvidas dos hackintoshers. Ficar longe dos hipes do momento, dos últimos rumores da Apple, dos virais como o da Susan Boyle, dos tentáculos do cardoso, dos últimos avisos do Stallman me fez bem … A rede tem vida própria mas sua influência no mundo real só aparece em forma de estalos , quando vejo moleques rolando de rir com vídeos do kibeloko no celular ou alguém desesperado por um mac por causa de uma resenha de um blog .


Matrix-Path-of-Neo-PC_2

O fato de morar no centro me possibilita presenciar as mais diversas manifestações políticas e populares, como a manifestação das mulheres da Educafro contra a “falta de cor” nas lojas do boticário :

cimg1400

Ou ainda os ciclistas protestando contra o g20 :

dsc08698
.

Posso parecer contraditório dizendo dos estalos da influência da web no mundo real enquanto cito duas manifestações que certamente foram organizadas pela web, o que quero passar é que na matrix as vozes são amplificadas e o barulho que um manifestante consegue gerar é muitas vezes maior que no mundo real, mas normalmente esse ser comprometido com uma causa ou nunca levanta a bunda do computador ou nunca senta num computador. São poucos ativistas que conseguem dosar sua participação nos dois mundos.

Morar no centro está me fazendo refletir sobre minha participação política tb… oras, moro a menos de 500 metros do gabinete do Kassab (FDP ! ) e da camara municipal, será que não é hora de bater na porta do meu vereador ?

Não sei exatamente quais serão os efeitos dessa arejada mental que passei nos últimos meses, mas tenho muitos causos pra contar, isso eu tenho