10 fundamentos do design de Interface

on

Ok, entendo, se você já leu esse blog deve estar confuso, afinal de contas eu sempre escrevi sobre tecnologia de baixo nível como sistemas operacionais, processadores etc. Mas antes de gostar de computação eu gostava de criar, desenhar, animar no papel e no meu velho MSX.  Até ganhei um concurso municipal de cartão de natal, meu desenho ficou exposto no CEMUR durante anos, o prêmio foi a gratuidade da inscrição pros vestibulares da Unesp e USP, onde prestei Educação Artística e Artes plásticas, e eu como bom aluno de escola pública falhei miseravelmente 😉  Depois fiz cursinho me apaixonei pelas exatas e o resto é história.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tenho até hoje dificuldades em ilustrar usando ferramentas digitais, tem uma tira de 4 quadros que estou tentando fazer com uma Bamboo…. nossa que parto.

De um tempo pra cá, cresceu meu interesse em design e usabilidade e estou estudando isso com bastante dedicação, quero realizar projetos de software bonitos e funcionais sem ficar refém de designers ou da falta de .  Estou fazendo uma pilha de cursos sobre Design e UX, e vou relatar aqui o que eu achar interessante.

Alguns pontos que me chamaram a atenção na arte de Usabilidade e UX é a proximidade com a psicologia, sério antes de escolher a cor do botão tem que pensar o significado daquilo para o usuário, ainda mais nesses tempos onde pensar virou um sacrifício, uma perda de tempo precioso.

Então segue os 10 fundamentos do design de interfaces:

1. Conheça seu usuário

Estude seu usuário, conheça seus hábitos, limitações, entenda seus objetivos ao usar o app e veja como eles usam o que você desenvolveu.

2. Atente aos padrões

Não reinvente a roda, use soluções já existentes para resolver problemas conhecidos. Seu usuário não é uma anta, ele tem experiencia prévia, use essa experiencia para criar um aplicativo intuitivo. Pense no seguinte, ao entrarmos na casa de um desconhecido onde você imagina que exista um garfo ? Na gaveta do balcão da cozinha ou  debaixo do travesseiro do berço no quarto ? Eu sei que a resposta é relativa.

3. Seja consistente

Como falei anteriormente, seu usuário não é necessariamente uma anta, ele é capaz de aprender, desenhe sua aplicação de forma que o usuário aprenda os fundamentos e consiga o que aprendeu em outras outras partes.

4. Use a tipografia para definir hierarquia

É isso, use a tipografia para definir a hierarquia do seu conteúdo e interface, se não entendeu observe bem essa lista numerada.

5. Dê feedback

Não seja c*zão, dê feedback para as ações do seu usuário, se o usuário fez certo dê feedback, se ele fez errado dê feedback. Deixar o usuário no vácuo em 100% das vezes vai passar a impressão que a ação não foi bem executada.

6. Permita que o usuário erre

Por mais que você capriche e estude e seu design seja claro o seu usuário vai errar, projete sua interface com isso em mente.

7. Recompense seu usuário

Nossa geração precisa de incentivos, precisa de respostas rápidas, selos, prêmios, mesmo para fazer coisas simples e automáticas de forma correta, como levantar a tampa da privada. É a gameficação da vida, um momento estranho em que vivemos mas que é a realidade.

8. Fale a língua do seu usuário

Bote legendas em tudo, explique tudo, dê nomes bons para as funções da sua aplicação, escreva mensagens claras.

9. Mantenha as coisas simples

Não faça seu usuário pensar, ele não tem que pensar, tem que ser tudo direto, nada de animações confusas, nada de itens escondidos.

10. Siga em frente

Sua interface vai ter problemas, corrija e siga em frente, busquem conhecimento

 

Deixar uma resposta